quarta-feira, 13 de abril de 2011

Uibaí contrata instituto para melhorar IDEB

A Prefeitura Municipal de Uibaí lançou edital para contratação de projeto estudo e assessoria para orientação na melhoria do índice de desenvolvimento da educação básica – IDEB municipal e de construção de instrumentos de gestão na educação, para atender às necessidades da Secretaria Municipal de Educação. Para isso, irá pagar R$ 38.500,00 a um instituto com sede na cidade de Timbiras, no Maranhão.
É salutar que se demonstre tamanho interesse em melhorar os índices. Se o relatório do instituto contratado for sério, deverá apontar os seguintes problemas: 1) falta de preparo dos professores; 2) falta de materiais e equipamentos (computadores, papel, máquinas copiadoras ou xérox); 3)falta de comprometimento dos alunos; 4) Não exploração do livro todo, isto é, de todo o conteúdo previsto para cada série; 5) Falta de aproximação da família e comunidade à escola e, se forem atrevidos, também dirão: 6) falta de sonhos, de trabalho. Então para que consultoria. Taí. Vamos atacar esses pontos.

No quadro do município já se tem pessoas gabaritadas para enfrentar esses itens. A consultoria deveria aparecer em um planejamento posterior. Sei que as verbas são vinculadas. Questiono se a utilização de tal recurso não poderia ajudar a equipar as escolas.

Faltam brinquedotecas, bibliotecas internet nas escolas, profissionais motivados e atividades culturais. Saliente-se que as crianças que estão sendo formadas agora concorrerão, no futuro, com aquelas de escolas particulares e públicas que têm estruturas apropriadas. Pense no cidadão que está sendo preparado!

Então, não acredito que o estudo contratado vá propor algo diferente. Professores precisam estar bem assalariados, ter uma atenção especial a sua saude, bom ambiente de trabalho e outras fontes de motivação.

Se a educação é um direito previsto na Constituição Federal, na Declaração Universal dos Direitos do Homem, ela tem que ser levada a sério. A educação precisa está sintonizada com os eventos culturais, preparando os jovens para o futuro. No ano passado, os estudantes da sede promoveram uma bela feira de conhecimento, mostrando eles que têm potencial. Temos conterrâneos consertandos os erros que cometemos ao destruir a serra. Com certeza há alguém, ou algum órgão que pode e deve fazer mais.

Vamos levar iniciativas eventos e  como esses aos povoados. Vamos encontrar uma saída para comunidades como a Chapadinha, onde em uma mesma sala estudam juntos alunos dos 1º, 2º, 3º e 4º ou 5º anos. Tudo isso precisa de dinheiro, mas, acima de tudo, precisa de iniciativa.

Há quem defenda a limitação da participação da comunidade na escola, eu, pelo contrário a apoio. Acho que a comunidade deve participar o máximo. Seja colaborando com eventos, fiscalizando o que está acontecendo, ajudando a equipar a escola, e, sobretudo, repudiar e denunciar a falta de iniciativa das autoridades em geral, etc.

O poder público não pode ser omisso. Os gestores também precisam acessar a internet, ouvir e ler as críticas do nosso povo. Deve também ir a cada comunidade enxergar de perto as deficiências e procurar solucioná-las o mais breve possível.

2 comentários:

Anônimo disse...

Não acredito que fizeram isso. Alguém que tenha contato com João pode checar essa informação? Como foi parar ai uma empresa do Maranhão? Os problemas a gente já tá careca de saber.

Fábio Rosa - Dos do Povo do Poço disse...

Pessoal, assinem os comentários, sob pena de não serem mais divulgados. Temos a liberdade de expressão, respeitando o direito dos outros. O anonimato é proibido constitucionalmente!